Ecossistemas de redes

Construir ambientes integrados em que vários recursos disponíveis na internet podem ser usados. Esta é a ideia dos ecossistemas de rede. Abaixo, o Prisma da Conversação, desenvolvido pelo pesquisador Brian Solis em parceria com a agência JESS3, onde são mostradas inúmeras redes sociais, para diversos fins, podem ser interligadas umas com as outras, ampliando as funcionalidades dos ambientes digitais.

Ver
+

A presença na Internet das organizações é uma condição imperativa atualmente. O pesquisador e jornalista Heródoto Barbeiro, no livro Mídia training, afirma que não há como existir fora das redes em nossa época. A época de ficar quietinho já acabou e há várias maneiras para que essa presença possa acontecer, dependendo dos objetivos buscados. As ferramentas disponíveis são muitas e devem ser selecionadas de acordo com as necessidades de cada organização.

 

A intenção pode ser um reforço de imagem institucional, ou a vontade de ter um canal de vendas online. Ao planejar essa presença na Internet, deve-se prever os recursos materiais e humanos, construindo um ecossistema de redes, onde cada fermenta integra-se uma com a outra. Dessa forma, a disponibilidade de conteúdos é favorecida, unificando-os em um ambiente onde a marca apresenta-se de maneira sólida. O conceito está presente no Manual de orientação para atuação em mídias sociais, elaborado pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

 

Quem faz o quê

Ao planejar a presença na Internet da organização, é importante definir a equipe que será responsável pela implantação e manutenção do projeto. A criação de um ecossistema de redes exige a atuação de um grupo multidisciplinar. Dado aos vários aspectos tecnológicos e de formatação desse tipo de ambiente digital, haverá a necessidade, no mínimo, de profissionais das áreas de TI, comunicação e design.

 

Jornalistas e publicitários serão responsáveis pela organização dos conteúdos, maneiras de divulgação e de relacionamento do público-alvo com o projeto. Os designers terão a tarefa de criar a identidade visual do ambiente como um todo, assim como de cada ferramenta escolhida, unificando-as no nível da apresentação. Já os analistas de sistemas devem tratar as características das funcionalidades necessárias ao ambiente, assim como da parte técnica e de equipamentos (configurações de rede, servidores, estações de trabalho e gráficas, programas, desenvolvimento de aplicações).

 

Tecnologias envolvidas

No nível dos recursos materiais, é importante a escolha daquelas tecnologias e ferramentas disponíveis na Internet consoantes com o propósito do projeto, mas a criação de um website é fundamental, funcionando como centro de integração dos conteúdos produzidos e publicados nos demais ambientes – os perfis em redes sociais. Estes orbitariam o site principal. Para uma instituição pública, por exemplo, poderia ser criado uma perfil no Facebook, para comunicações diárias; uma conta no Instagram, para veiculação de coberturas fotográficas diversas, como campanhas de conscientização, ou eventos envolvendo o público externo; além de um perfil no Youtube, para divulgação de vídeos institucionais ou minidocumentários de atividades realizadas pelo órgão.

 

No site, haveria a vinculação a esses perfis com uma identificação visual comum a todos, e a retroalimentação das informações tradadas em cada ambiente. O site funcionaria como a entrada principal para se conhecer a instituição, por meio dos diversos conteúdos produzidos por ela, como notícias, disponíveis no próprio site, os posts presentes no Facebook, as fotos do Instagram e os vídeos do Youtube.

 

Tá integrado, tá tudo integrado

A existência de uma série de recursos e ferramentas na Internet, prontamente disponíveis para uso, propicia que a criação de um ecossistema de redes para uma instituição aconteça de maneira mais eficaz e rápida. Possibilita a escolha de funcionalidades diversas para integração a um projeto, sem a necessidade de serem construídas pela equipe própria do órgão.

 

Além disso, nessas comunidades já existem grandes audiências, que podem ser atraídas e convertidas em adesão aos projetos do órgão. Esses recursos e tecnologias representam um grande salto para o posicionamento correto das organizações na Internet.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *